Os princípios verdadeiros podem ser bem diferentes dos nossos ...

Os princípios verdadeiros pelos quais devemos viver podem ser bem divergentes dos que cremos, podendo ser sofismas inventados pelos homens: sombras da verdade ou fragmentos dela.
A identidade do homem é construída por meio de certos contextos sociais, culturais e históricos, porém o Eterno está no contexto da humanidade absolutamente. Quando atinamos com isso, passamos da morte para a vida.
Nesta página poderemos refletir e argumentar, para descobrirmos se estamos vivendo a VERDADE, essa que é absoluta e que não depende de quaisquer pontos de vista.







"Não deixe portas entreabertas. Escancare-as ou bata-as de vez. Pelos vãos, brechas e fendas passam apenas semiventos, meias verdades e muita insensatez."
Cecília Meireles

Vivemos eternamente adquirindo convicções novas e num eterno trabalho de reeducação de nós mesmos.
Mário de Andrade

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Nunca se Escreve para Si Mesmo

Nunca se Escreve para Si Mesmo  

O escritor não prevê nem conjectura: projecta. Acontece por vezes que espera por si mesmo, que espera pela inspiração, como se diz. Mas não se espera por si mesmo como se espera pelos outros; se hesita, sabe que o futuro não está feito, que é ele próprio que o vai fazer, e, se não sabe ainda o que acontecerá ao herói, isto quer simplesmente dizer que não pensou nisso, que não decidiu nada; então, o futuro é uma página branca, ao passo que o futuro do leitor são as duzentas páginas sobrecarregadas de palavras que o separam do fim.

Assim, o escritor só encontra por toda a parte o seu saber, a sua vontade, os seus projectos, em resumo, ele mesmo; atinge apenas a sua própria subjectividade; o objecto que cria está fora de alcance; não o cria para ele. Se relê o que escreveu, já é demasiado tarde; a sua frase nunca será a seus olhos exactamente uma coisa. Vai até aos limites do subjectivo, mas sem o transpor; aprecia o efeito dum traço, duma máxima, dum adjectivo bem colocado; mas é o efeito que produzirão nos outros; pode avaliá-lo, mas não senti-lo.Proust nunca descobriu a homossexualidade de Charlus, uma vez que a decidiu antes de ter começado o livro. E se a obra adquire um dia para o autor o aspecto de objectividade, é porque os anos passaram, porque a esqueceu, porque já não entra nela, e seria, sem dúvida, incapaz de a escrever. Aconteceu isto com Rousseau ao reler o Contrato Social no fim da vida.

Não é portanto verdade que se escreva para si mesmo: seria o pior fracasso; ao projectar as emoções no papel, a custo se conseguiria dar-lhes um prolongamento langoroso. O acto criador é apenas um momento incompleto e abstracto da produção duma obra; se o autor existisse sozinho, poderia escrever tanto quanto quisesse; nem a obra nem o objecto veriam o dia, e seria preciso que pousasse a caneta ou que desesperasse.
Mas a operação de escrever implica a de ler como seu correlativo dialético, e estes dois actos conexos precisam de dois agentes distintos. É o esforço conjugado do autor e do leitor que fará surgir o objecto concreto e imaginário que é a obra do espírito. Só há arte para os outros e pelos outros.

Jean-Paul Sartre, in 'Situações II'

sexta-feira, 21 de março de 2014

Egoísmo humano

Como o ser humano é ingrato e soberbo...
Não consegue retribuir o bem. Não tem memória.
Talvez seja inveja ou raiva dos que os ajudaram.
Como poderão entender a graça, se não são gratos pelo que os seus iguais lhes fizeram?
Não sabem repartir. Gostam de títulos, entretanto não consideram os outros como superiores a si mesmos. Se recebem, é obrigação dos que ajudam. Se não recebem, os outros é que são egoístas...

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Muito além da compreensão

Vai além, muito além da compreensão, líderes disciplinando seus iguais.
Bem, então ele não considera igual. Claro que não, ele se considera melhor, maior, ou seja: um santo!
Separado para ser diferente, separado para ser servido.
Tudo aquilo que Jesus pregou: ser servido!
Leram a Bíblia de ponta cabeça ou de trás pra frente. De trás pra frente, com certeza.
Pessoas oportunistas que acham que podem fazer o que querem.
Pessoas que destroem a fé dos pequeninos.
O problema é a impunidade...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Mundo utópico

Os falsos conceitos são tão bonitos que nos enganam, a fim nos afastar da Verdade que é uma só. Não se relativiza a realidade e nem a convivência. A verdade liberta, porém a mentira aprisiona. E eu tenho certeza absoluta de que não vivo num mundo utópico de paz e de amor e muito menos prego isso. Estou bem convicta de que essa filosofia pós-moderna individualista e misturada, "ecumênica" no sentido lato, é enganosa e está diametralmente oposta aos padrões de Deus.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Pessoas do mal

Não pensem vocês que pessoas do mal são aquelas que são malvadas, de cara feia. As piores são as de fala mansa, manipuladoras... dissimuladas.
São aquelas que pagam de santas nas igrejas. Bem santas...
Elas são as que causam as maiores dores e decepções.
Causam indignação - difamam.
Deixam-nos nervosos, a ponto de explodirmos e depois apontam o dedo e dizem: não falei!
Todos os dias nos deparamos com pessoas do mal.
Onde estão as do bem?
Coisa rara.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Controle e manipulação

Realizei o curso de libertadores em 2002 e foi uma decepção total. Os líderes que ministraram o curso demonstraram total despreparo e o máximo de falta de educação, ao nos tratarem como possuídos por demônios, como se fôssemos linha de produção. As orações escritas e decoradas mais pareciam mantras ou rezas católicas.Parecia mais um centro espírita repleto de misticismo. Pessoas medrosas, exaltando mais o poder das trevas do que o de Deus.
Para mim, seminários de cura e de libertação são uma maneira de controle e de manipulação.

A TRADIÇAO É UM VÍCIO

É dependência, quase um hábito.
Prisão.
Clube.
É morte.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

É muito difícil suportar a injustiça... viver com sapos e lagartos na garganta, conviver com soberbos.
Existem muitas pessoas más que se acham que são justas... julgam e condenam
Verdade
A impunidade nos enfraquece e por pouco ou pouco a pouco enfraquece nossa fé
Verdade
Os maus continuam por aí sem que nada mude... quase que serenos
Mentira
Eles não podem ter paz
Será
Vivem como se nada houvessem feito, dissimulados...

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Equívocos

Hoje , acho que sempre houve, existem líderes religiosos equivocados a respeito de sua própria santidade. Acima dos deuses, oprimem "suas"ovelhas, distorcendo a verdade do ser servido e servir. São melhores do que Jesus, o Cristo.
Haverá salvação para esses? Pois é, eles dizem que manejam bem a palavra da verdade...
A sociedade individualista  e egocêntrica vem produzindo o anti-evangelho ou o para-evangelho. Uma subversão desequilibrada do dar e do receber - é melhor receber do que dar... triste, né?
São indivíduos cheios de direitos tais quais sanguessugas.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Sem tempo para escrever

Que chato, tanta coisa pra falar, mas não consigo tempo. Inspirada até o último fio de cabelo que são muitos. Ainda bem!
2014 emplacou com muitas atividades - parece até que já se passaram uns seis meses…
E agora?
Com tanto calor e trabalhando como nunca!!! Que maravilha, parece que a depressão me deixou e tomara que para sempre! Acho que sim, sim, sim…

domingo, 5 de janeiro de 2014

Energia ruim

Existem pessoas que são tão más, invejosas e oprimidas que, quando convivem conosco, fazem-nos adoecer… sugando nossa energia.
Elas estão sempre acompanhadas por uma nuvem negra.
Hipocondríacas, quase nos fazem acreditar que a culpa de suas doenças é toda nossa!
Por mais que se perfumem, continuam exalando aquele mau cheiro de falsidade, cujo objetivo é roubar o que nos pertence - ideias e criações.
Medíocres que se gabam de sua própria mediocridade - os mesmos que mandam e desmandam, querendo ser patrões dos mais simples.
Sim, é com você mesmo que estou falando, pessoa que causa intrigas por onde quer que passe. Pessoa que usa dois pesos e duas medidas. Acusando os outros do mesmo que pratica, faz jogos sujos, assim como suja é sua inveja.
Roubando seus senhores, sutilmente, usam o que receberam de bom grado para escreverem, vitimizando-se, inventando pressões fraudulentas e atestados psiquiátricos.
Sabem fingir ou pensam que sabem. Péssimos atores!
Na saída, fazem pior do que os que criticou. Na entrada, hipocritamente, dizem-se honrados pelo convite, vestindo sua "melhor roupa", disfarçando o interesse de levar a melhor.
Ineficientes, mais se parecem com cães, correndo atrás do rabo, passam horas, enganando-se a si mesmos, contando o dinheiro que não lhes pertence com estimativas errôneas de lucros indevidos.
Orgulhosos, fingindo humildade, querem ser donos daquilo que nunca lhes pertenceu.
Mentirosos, acreditam nas mentiras que contam. Confusos, não sabem se fazer entender.
Idólatras, trocam a admiração por aquilo que é patológico.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos… mais cedo ou mais tarde são desmascarados.
Nada fica oculto aos olhos sábios do Criador! Misericordioso, faz alardear sobre os telhados o que foi feito às escondidas, transformando a energia ruim num prazer inenarrável!

Deveras...

Vera, uma palavra que deveria significar verdadeira.
 Perdeu o significado em tantas Veras que conheci.
Passou a ser dissimulação e manipulação. Danos morais e difamação.
De certa forma, que pena, um significado permaneceu, o de dona da verdade...
DeVeras, significa traidora, caluniadora, jamais amiga, muito menos da verdade!
Quanta incoerência!
De tantas veras que passaram em minha vida, acho que dever-se-ia, incorporar no dicioário o significado adquirido: s.f. (latim) pessoa falsa, disimulada, traidora e prepotente, completamente controladora e mandona; adora aparecer; aquela que comanda o marido. No sentido metafórico: a santa; pessoa que está sempre certa  e que se considera perfeita, aquela que está acima do bem e do mal, quase uma deusa poderosa; pessoa que rotula todos ao seu redor e que não possui o dom do perdão e da humildade.

DeVeras, tomem muito cuidado com veras por perto!